hora,data

[Guarabira] -

Religio

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Se algum dia meu filho me perguntar...





                                                                  Homenagem à professora Maria Eulália Cantalice,
                                                                  neste dia dos professores.




Se algum dia meu filho me perguntar quem é a professora Maria Eulália Cantalice, o que poderei lhe dizer que se aproxime do significado da vida dessa senhora para a nossa comunidade?
             
Dizer, como seu ex-aluno, que ela carrega em si as virtudes de grande educadora é quase truísmo; é chover no molhado. Afinal, muita gente que hauriu seus ensinamentos já sabia disso bem antes que eu conseguisse soletrar tru-ís-mo.
            
 Falar de seus tradicionais exercícios de análise sintática também não acrescentaria muita coisa. Alguns professores meus de primeiro e segundo graus — ensino fundamental e médio, na terminologia atual — já haviam se embrenhado nos segredos da sintaxe iluminados pelas lições daquela professora.
             
Mas, então, o que poderia ser dito para fazer meu filho compreender um pouco da importância da estimada educadora guarabirense?
            
 Confesso que não seria fácil a tarefa. Tudo o que lhe falasse ainda seria insuficiente. Mas, talvez pudesse começar assim:
             
— Meu filho, seu pai é professor, filho de professores. Seu avô terminou seus dias como professor. Não fez fortuna, mas nos deixou o mais rico dos tesouros: o exemplo de uma vida inteira devotada à educação. Pois é esse mesmo legado que dona Maria Eulália Cantalice tem, ao longo dos anos, ofertado a sucessivas gerações de guarabirenses. Mais do que propiciar a instrução, seu exemplo de dignidade, de honradez e de fortaleza tem contribuído para a verdadeira formação, e esta, como diz um célebre provérbio alemão, é aquilo que resta depois que se esqueceu tudo. A propósito, meu filho, Eulália é um nome que provém do grego Eu-lalos, e significa “que fala bem, eloquente.” No caso de dona Maria, a eloquência é bem maior que a força das palavras. É a eloquência da vida.


/